Friday, 28 June 2013

"Chame o ladrão, chame o ladrão!"

O brasileiro de uma forma geral quando pensa em político com certeza tem a frase da música de Chico Buarque na ponta da língua, onde ele diz: "chame o ladrão, chame o ladrão", tal é o descrédito que ronda a política.
Agora, depois das manifestações pelo país ocorreu o "apressamento" do julgamento de um político que já estava condenado por corrupção pelo STF e assim foi ordenado a sua prisão - nada mais justo.
As perguntas que não querem calar, embora nunca seja tarde para condenar um político corrupto são as seguintes: por que a condenação não aconteceu antes das manifestações eclodirem pelo país? Por que agora o senado apressou a votação do projeto que transforma a corrupção em crime hediondo? Os membros do mensalão serão condenados? Os membros do mensalão não irão para a cadeia?
É óbvio que condenar um deputado de quinto escalão é fácil, com certeza não é amigo de ex-presidente,  não possui muita influência política no Senado, não tem amigos membros do STF e tudo o mais - nesse momento é necessário colocar à prova a força do STF que por sinal funciona como um dos pilares de sustentação da democracia brasileira e que ainda possui algum crédito junto à sociedade.
Condenar e mandar para prisão os membros do mensalão é uma resposta que o STF deve à sociedade brasileira, tendo em vista o enorme prejuízo causado por eles aos cofres públicos, caso isso não ocorra é melhor a sociedade continuar chamando o ladrão.

O legado das manifestações

Tenho acompanhado atentamente as manifestações pelo Brasil afora, percebo a indignação da população com os gastos feitos na Copa do Mundo, o descaso com a educação e com a saúde - todas essas reinvindicações são legítimas, tendo em vista a quantidade de impostos que se paga no pais.
No entanto, essas bandeiras possuem como pano de fundo uma vertente econômica, ou seja, para a população basta "colocar" na Constituição Federal determinada porcentagem de recursos para essas áreas e fatalmente os problemas estarão resolvidos - ledo engano.
O problema central das manifestações está relacionada com a questão política, mas o que isso significa? O problema não está sedimentado sobre a quantidade de recursos gastos, mas, sim com a corrupção do sistema político, uma vez que muitas vezes esses recursos nem chegam ao destinatário, portanto, a reforma política é muito mais significativa, porque é através dela que a população irá conseguir "controlar" a ação dos políticos.
É através da reforma política que podemos impor o fim da reeleição para vereadores, deputados estaduais e deputados federais, podemos diminuir o salário dos vereadores, colocarmos mecanismos de controle e transparência para os políticos, esses são alguns dos pontos fundamentais que a população precisa cobrar dos políticos.
A reforma política precisa ser organizada tendo em vista esses pontos e não com os que eles querem fazer a população acreditar: sistema de voto distrital, misto, com lista, sem lista, essa reforma é perfumaria - a população precisa ficar atenta tendo em vista que esse será o maior legado das manifestações que ocorrem no país.

Thursday, 27 June 2013

A Copa do Mundo e os oportunistas

A Copa do Mundo que o "magnânimo" ex-presidente Luis Inacio Lula da Silva trouxe para o Brasil, foi ratificada em agosto do ano de 2007, portanto, a 6 (seis) anos atrás.
De lá para cá, tanto os meios de comunição quanto os políticos tentaram tirar proveito de alguma forma: os meios de comunicação, tentaram nos vender um mundo de pão e circo, o que pode ser considerado normal nos períodos que se espaçam de 4 (quatro) em 4 (anos) onde a seleção brasileira e seus jogadores são endeusados até a primeira derrota e os políticos por se aproveitarem dos gastos do Governo Federal para se enriquecerem e ao mesmo tempo tirar uma lasquinha, seja na forma de um ingresso grátis para a família, amantes e amigos ou mesmo para aparecer como responsável por esse ou aquele investimento, pois bem, agora, com essa onda de manifestações que ocorre em todas as regiões do país a situação se alterou.
Preocupados com as eleições no ano que vem, os políticos estão propondo uma CPI para investigar os investimentos feitos pelo Governo Federal para a Copa do Mundo e a mídia está tentando de alguma forma, vender mais pão e menos circo para a sociedade brasileira.
No caso dos políticos, porque essa CPI não apareceu tempos atrás? Porque não pediram uma investigação nos processos de licitação para a construção ou reforma dos estádios? Porque aceleraram e dispensaram a concorrência para as obras?
Enquanto tudo estava calmo, os políticos sentaram e com certeza "tiraram o sarro" do povo brasileiro, agora, que a população foi para a rua e eles perceberam que o pagamento da conta chegou, todos querem se salvar, seja na organização de CPIs ou mesmo, acatando as vozes que chegam das ruas, mas, agora pode ser tarde, pois a população já entendeu que para isso existe o Ministério Público e que a organização da PEC 37 foi para o espaço. Nesse contexto é melhor dizer: os políticos que se cuidem e por falar nisso, a pergunta que não quer calar:
Por onde anda o "magnânimo" Sr. Luis Inacio Lula da Silva?sumiu??????

"O preço da liberdade é a eterna vigilância"

Após a eclosão das manifestações em todos os cantos do país exigindo alterações na política e na conduta política dos políticos brasileiros, a população começa a ouvir, através da imprensa que os mesmos "andam" correndo para dar respostas às vozes que vêm das ruas.
Projetos que estavam engavetados a anos foram aprovados em dez minutos, como por exemplo, podemos citar o projeto de lei que transforma a corrupção em crime hediondo, está em curso também uma discussão "rápida" sobre que tipo de reforma política será feita no país e está em andamento a isenção das tarifas de ônibus para os estudantes em várias cidades brasileiras.
As atitudes dos políticos a partir de agora, passam a ir de encontro com as manifestações da população, e é claro que a sociedade articulada e organizada, consegue fazer com que as ações políticas andem mais rápidas. Muitos políticos agora, querem pegar carona nas manifestações para justificar as ações que consideram "rápidas", no entanto, para fazermos a política andar mais depressa é necessário a população ficar mais vigilante, organizar ainda mais passeatas e exercer a pressão, em uma sociedade democrática elas são fundamentais, tendo em vista que sempre necessita estar em movimento.
Existe uma frase antiga de um politico brasileiro que diz o seguinte: "o preço da liberdade é a eterna vigilância", se quisermos fazer com que a democracia brasileira funcione realmente, precisamos ligar o sinal de alerta.

Blog Archive

ASSESSORIA POLÍTICA

UM BLOG QUE VAI SERVIR DE REFERÊNCIA PARA QUEM QUER SE COLOCAR NO MUNDO DA POLÍTICA.