Thursday, 12 February 2009

A POLÍTICA COMO CELEBRIDADE

Alguns anos atrás na cidade de São Paulo houve um seminário onde foi discutido o fim da política, Marilena Chauí, Marco Aurélio Nogueira e muitos outros pensadores da sociologia, da ciência política e historiadores estiveram reunidos para debater o tema.
A discussão sobre o fim da política tornou-se proeminente na roda dos intelectuais com mais vigor no final dos anos oitenta com a publicação de um texto denominado "o fim da história" por um intelectual americano denominado Francys Fukuyama, o qual afirma entre coisas que as relações políticas serão suprimidas pelas relações de mercado.
Tentando dar ênfase às propostas de Fukuyama, o jornal Gazeta do Povo da cidade de Curitiba retirou do seu tablóide o caderno de política e a substituiu pela simples expressão "Vida Pública". Nesse contexto compete ressaltar a tentativa do tablóide de banalizar o conceito de política, colocando em seu lugar uma expressão de fazer inveja aos integrantes do big brother Brasil, na medida em que todos os políticos se assemelhem às celebridades de ocasião.

Tuesday, 10 February 2009

TEMPOS MODERNOS E A MORTE DOS INTELECTUAIS

A continuar as coisas como estão, em breve, os intelectuais serão considerados peças de museus ou mesmo seres que possuíram vida durante o longínquo período jurássico. Essa constatação não é recente mas, vem se ampliando no decorrer do tempo por causa do tecnicismo que permeia as relações profissionais contemporâneas.
Tanto o tecnicismo quanto à intelectualidade formam o cidadão através de perspectivas distintas: enquanto o tecnicismo forma o cidadão através de uma perspectiva positivista e solucionadora de problemas emergentes, a intelectualidade o forma para o pensar e estabelecer relações críticas tanto com relação ao sistema de produção vigente, quanto com as relações sociais produzidas.
Nesse contexto, compete ressaltar que a relação entre o capitalismo e o criticismo produzido pelos intelectuais se caracteriza pelo antagonismo, uma vez que o sistema insiste em reduzir ao máximo a existência e a importância da classe intelectual.

O ESTADO E O MERCADO


Durante as décadas de 1980 e 1990, o conceito de Estado caiu em desgraça junto à comunidade internacional. As principais críticas em direção ao Estado se concentravam em seus gastos incomensuráveis e excesso de controle sobre as diretrizes do mercado que nessas décadas estavam em franca expansão.
Pois bem, as críticas foram ouvidas e o papel do Estado modificado: dimuíram o tamanho, freiaram os controles do Estado e tudo se caminhava em direção à felicidade plena, como se o mercado fosse capaz de resolver sozinho os seus próprios problemas.
No entanto, nos últimos dois anos com o estabelecimento da crise da economia global, o Estado precisa voltar à tona para resolver os problemas que o mercado foi capaz de criar. De acordo com o presidente americano Barack Obama o "governo federal é a única entidade capaz de oferecer recursos para reativar a economia do país, que enfrenta sua maior crise desde a Grande Depressão".
A afirmação de Obama, ressalta novamente o papel fundamental do Estado na visão contemporânea: aquele de salvador das mazelas causadas pelo liberalismo. Nesse contexto, 2009 repete 1929 e sobre este prisma existem dois alentos: o Estado não pode servir apenas para salvar o capitalismo de suas crises e de que o "laissez faire" talvez esteja com os seus dias contados.

Monday, 9 February 2009

FIAT EM CAMPO LARGO

O Prefeito de Campo Largo Edson Basso comemorou o investimento que será feio pela FIAT na cidade. São cerca de 25o milhões de reais, o que certamente aumentará a arrecadação para o ano de 2010.
A alegria do prefeito é justificável, porque afinal de contas, em tempos de crise, qualquer dinheiro é sempre bem vindo. No entanto, espera-se que realmente a promessa se cumpra, porque tanto a Chrisler, quanto à Tritec que chegaram no município fazendo alarde de grandes investimentos e geração de emprego e renda, foram embora e o município arcou com as despesas e as promessas não cumpridas.

UNIVERSIDADE PÚBLICA E O PARANÁ

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) vinculado ao Ministério da Educação apontou em recente estudo que em cada 4 alunos de cursos de graduação no Estado do Paraná, um se encontra matriculado em universidade pública.
Esses números colocam o estado do Paraná em 2º no ranking nacional, perdendo apenas para o estado de São Paulo.

OS DINOSSAUROS DO CONGRESSO NACIONAL

A reportagem de um periódico inglês diz que as eleições de Michel Temer para presidente da Câmara dos Deputados e de José Sarney para a presidência do senado se caracterizam como um retrocesso na política brasileira, atribuindo até mesmo a alcunha para ambos os eleitos de dinossauros da política.
Entretanto, no Brasil, quando o assunto é política, os avanços são realmente propostos só para os "ingleses verem", na verdade, o que prevalece é a famosa frase do político mineiro Antonio Carlos do século XIX, "vamos mudar tudo, para que tudo continue como está".
Nesse caso, não mudou-se absolutamente nada e nem tentaram disfarçar aos olhos dos ingleses que a política brasileira sempre será como sempre foi, ou seja, sem mudanças e sem perspectivas de um futuro melhor.

SOBRE O EDMAR DO CASTELINHO


O Deputado Federal Edmar Moreira, aquele que se esqueceu de declarar em seu imposto de renda um castelo no Estado de Minas Gerais no valor de vinte e cinco milhões de reais, agora será cassado pelo Partido Democratas.
O Deputado Federal, Rodrigo Maia presidente do Partido dos Democratas em entrevista, disse que irá propor a expulsão do Deputado no partido, para isso se baseia no histórico de Edmar na casa legislativa. Segundo Maia, o Deputado sempre priorizou as relações pessoais em detrimento dos interesses do legislativo.

Blog Archive

ASSESSORIA POLÍTICA

UM BLOG QUE VAI SERVIR DE REFERÊNCIA PARA QUEM QUER SE COLOCAR NO MUNDO DA POLÍTICA.