Wednesday, 8 July 2009

A assessoria política e o direito

No Brasil, a profissão de assessor político ainda não foi regulamentada. No entanto, vem sendo alvo de disputa por algumas áreas do conhecimento, principalmente no Direito, onde existe um trabalho sendo desenvolvido.
O esforço é válido, no entanto, o que precisa ser salientado é que as questões relacionadas ao direito na assessoria política é limitada, uma vez que não basta ter apenas o conhecimento jurídico para se julgar um assessor político, se fosse assim, bastaria o político contratar uma série de advogados que conseguiria dar suporte às suas demandas políticas.
O que precisa ficar claro, é que para se exercer a assessoria política é necessário ter uma gama de conhecimentos. No artigo que escrevi anteriormente, mencionei algumas habilidades que um assessor político deve ter, por isso, ela não pode ser considerada e desenvolvida apenas pelo direito, uma vez que a atuação desse profissional deve ser complexa e por isso é necessário ter uma formação diferenciada para atender a demanda que ainda irá crescer no país, tendo em vista a profissionalização que assola a classe política.
A ciência política, o jornalismo e o direito oferecem disciplinas que se complementam e que juntas podem estabelecer a diferença na formação do profissional de assessoria política, por isso, estabelecer que a profissão está ligada a apenas uma determinada área é fazer um reducionismo e não contribui para estabelecer parâmetros de quais atividades deve um assessor político realizar e dificulta a regulamentação da profissão.


Tuesday, 7 July 2009

O que é assessoria política

Assessoria política é assessorar tecnicamente um determinado político ou candidato a político. O que significa assessorar tecnicamente? É prestar assistência não somente sobre a parte jurídica ou mais especificamente sobre a elaboração de projetos de lei sobre as mais diferentes áreas, mas, principalmente sobre as questões relacionadas ao marketing político.
Em tempos de sociedade globalizada, a função da assessoria política se tornou extremamente importante, pois o político não consegue dar conta da demanda política que se espera dele, por isso, uma equipe de assessores é de fundamental importância para o desempenho de sua função legislativa.
Um assessor político, precisa dar conta e ter um conhecimento sólido sobre vários aspectos da vida política, precisa estar por dentro da legislação eleitoral, ter conhecimento sólido sobre língua portuguesa, saber redigir textos sobre os mais variados temas, ter noção de jornalismo e postura para saber orientar o político diante das câmeras, assim como auxiliar nas articulações políticas.
O político precisa possuir o carismo suficiente para poder ter forças de se eleger, ou conquistar os votos, já os assessores políticos precisam ter o conhecimento de todas as questões que envolvem a política para poder assessorar com competência.
No Brasil, poucos assessores são profissionais, muitos são colocados porque possuem graus de parentesco com os políticos. No Brasil, a função de assessor parlamentar ainda precisa ser devidamente regulamentada para que possa ser melhor administrada e até mesmo sofrer as cobranças que todas as profissões exigem, no entanto, ainda sofre com o desdém dos políticos justamente porque aí se estabelece as relações de cabide de emprego e de poder sobre os correligionários.


EM SETEMBRO, LANÇAMENTO DO LIVRO: ASSESSORIA POLÍTICA: CONCEITOS FUNDAMENTAIS. INFORMAÇÕES SOBRE O CONTEÚDO EM BREVE NESTE BLOG!!!

O que é sistema político

Significa a organização política de um determinado Estado. Sem a organização política é impossível a aplicação da política de uma forma geral. Faz parte do sistema político brasileiro: o Poder Executivo, o Poder Legislativo e o Poder Judiciário, todos possuem suas prerrogativas diante das leis.
Teoricamente, o Poder Executivo, executa as leis, o Poder Legislativo, legisla ou cria as leis, o Poder Judiciário, possui a atribuição de julgar. São órgãos que compõem o sistema político. É claro que o sistema político pode variar de país para país, mas, o que precisa ficar esclarecido é que de uma forma geral faz parte da organização política. Esses órgãos que compõem o sistema político necessitam ter relações diretas e indiretas com a população.
É necessário esclarecer que a população de uma forma geral participa das decisões políticas do sistema político. Quando o cidadão é chamado a votar a cada período, ele está diretamente influenciando o funcionamento do sistema político, isso é importante porque demonstra a capacidade do sistema político de atender as demandas ou necessidades dos cidadãos.
O sistema político tem que possuir a capacidade de sofrer transformações, e estar constantemente atrelado às mudanças da sociedade. Para explicar melhor essas transformações, cita-se a criação de novos mecanismos políticos para permitir a participação ativa da sociedade brasileira sobre as decisões políticas. Recentemente foi absorvido pelo sistema político brasileiro, os Conselhos Municipais, onde a população é chamada a participar, tendo em vista os seus interesses, assim como também foi criado as audiência públicas onde temas políticos importantes são debatidos pela sociedade.

O que é poder

Por que ter poder? Para que ele serve? Por que as pessoas lutam para conquistá-lo? Seja nas relações de trabalho, onde queremos alcançar o posto mais alto, seja nas relações com os amigos onde sempre queremos que prevaleça as nossas opiniões, reside o poder, mas porque ele é importante?
Para responder essas questões é necessário estabelecer que o poder é importante, porque através dele é possível fazer com que as pessoas façam aquilo que temos vontade, porque conquistamos alguns instrumentos de força, por exemplo: quando se atinge um posto de trabalho como o de chefia, conseguimos fazer com que as pessoas que estão sob o nosso comando, faça aquilo que queremos porque podemos mandá-lo embora ou dar-lhe uma advertência. Então, ter poder significa possuir alguns instrumentos de coerção ou de força que obrigue as pessoas a fazer aquilo que quem possui quer.
Para conquistar o poder é necessário construir as relações políticas, por exemplo (quando queremos conquistar um determinado posto na empresa em que trabalhamos e fazemos intriga do nosso chefe a um superior para tentar conquistar o espaço dele, utiliza-se nesse caso uma arma política para conquistar o objetivo) é claro que não estou mencionando e julgando as ações, se ela é ética ou não, assim como podemos tomar o espaço do chefe por meio das nossas habilidades, competência e possuir o reconhecimento da empresa, nesse caso, conquista-se o poder por méritos e não com aplicação de instrumentos que não condizem com a ética.
A forma como se luta para a conquista dos objetivos na vida é que estabelece e constrói os princípios éticos. O pensador italiano Nicolau Maquiavel ficou marcado pela frase “os meios justificam os fins”, isso significa que não importa os meios empregados para conquistar os objetivos, desde que os conquiste. A frase de Maquiavel põem por terra os princípios éticos, na medida em que se pode estabelecer qualquer atitude para conquistar os objetivos, até mesmo a violência para fazer valer as idéias e a conquistar o poder. É a conquista do poder a qualquer preço, não importando a opinião e os outros interesses em jogo.

O que é política



Política é a arte de viver em comunidade na condição de uma coexistência pacífica. A política precisa ser pensada através da perspectiva das relações de poder, mas, ao mesmo tempo, com a condição de estabelecer relações pacificas para o desdobramento das relações sociais. Política e poder não se dissociam das relações humanas.
A política é importante tão quanto o poder. Sem o poder, não haveria condições de estabelecer que as pessoas devem obedecer determinadas regras impostas pela sociedade, no sentido de desenvolver uma relação mais harmoniosa.
A pretensa harmonia que se busca nas relações sociais pode não somente ser pensada sobre a perspectiva da subserviência. A política serve para estabelecer realmente posições contrárias, por isso, pensar em política é pensar sobre as contradições existentes nas relações sociais.
Como política e poder não se dissociam, é praticamente impossível não mencionar sobre o conceito de política, as relações de conflito. A política se estabelece a priori, pelas relações de conflito que se estabelece. É no conflito que se amadurece politicamente. Embora o conflito faça parte das relações políticas, ele pode ou não servir como modelo para a substituição do sistema político.
Política e conflito andam juntos e podem ocasionar a transformação no interior do sistema político. Um exemplo clássico dos problemas relacionados com as relações de conflito é a Revolução Cubana de 1959 (Fidel Castro e Ernesto Che Guevara lideraram a rebelião comunista contra o governo capitalista de Fulgêncio Batista, tomaram o poder e deram uma novo contorno político à Cuba).
A luta pelo poder é o que caracteriza a política. O poder se traduz em um instrumento importante porque através dele se é capaz de colocar as idéias políticas de um determinado grupo ou pessoa em prática, para isso, é necessário a conquista do poder do Estado.
O Estado é o instrumento vital para o desenvolvimento das relações de poder. É através dele que o grupo ou a pessoa que o conquistou consegue colocar em prática as suas idéias, mas porque isso ocorre?
Para entender melhor, se faz necessário ressaltar que o Estado possui o monopólio ou a exclusividade dos instrumentos de poder. Só o Estado é capaz de utilizar a força para colocar ou para manter a sociedade em determinada pacificidade. Quando se expõe que somente o Estado é capaz de utilizar a força, quer dizer que é responsável pelos instrumentos de violência, por exemplo: o Exército, a Marinha e a Aeronáutica e a Polícia de uma forma geral é controlada por aqueles que detém o poder, fazendo valer as suas necessidades ou “vontades” de acordo com a situação social estabelecida.

Blog Archive

ASSESSORIA POLÍTICA

UM BLOG QUE VAI SERVIR DE REFERÊNCIA PARA QUEM QUER SE COLOCAR NO MUNDO DA POLÍTICA.