Friday, 16 November 2012

O que é análise de conjuntura

Aprendendo a fazer análise de conjuntura


Num manual que servirá como base para tornar viável uma candidatura, a questão da análise de conjuntura se faz muito importante. A necessidade da realização da análise de conjuntura torna-se necessária porque através dela o assessor político conseguirá enxergar o cenário onde a candidatura estará sedimentada.
Analisar o cenário é fundamental para se tomar decisões. Fazer assessoria política é tomar decisões o tempo todo, para isso é necessário estar cercado de informações e fatos políticos do município, mas nem só de fatos e informações o assessor precisa estar por dentro, é necessário conhecer as forças políticas do município, quais partidos detém poder, quais os empresários que dão as cartas do jogo, assim como as correlações de forças que existem e quais são as suas posições. Nesse contexto, a missão do assessor se torna mais complexa do que as posições sustentadas atualmente sobre o desempenho das funções relacionadas ao cargo.
A pergunta que se pode fazer é: como juntar as informações para fazer a análise de conjuntura? Chegaremos a essa resposta posteriormente, no primeiro momento vamos trabalhar com o conceito de análise de conjuntura, para isso resgataremos as palavras de Souza (2012, p. 7) para quem “análise de conjuntura é uma mistura de conhecimento e descoberta, é uma leitura especial da realidade e que se faz sempre em função de alguma necessidade ou interesse”.
E quando se fala de análise de conjuntura, algumas categorias expostas por Souza (2012) precisam ser ressaltadas, são elas: acontecimentos, cenários, atores, relação de forças e a articulação entre a estrutura e a conjuntura.
Na missão de assessorar politicamente, fazer a leitura da realidade política do município é fundamental porque através dela seja possível organizar e definir estratégias de abordagem da campanha e ao mesmo tempo propor intervenções para mudar a realidade social existente e para isso é necessário coletar informações através da leitura de jornais, reuniões com empresários e gerentes de bancos, a posição política dos movimentos sociais, entender a movimentação econômica ou seja, compreender a vocação econômica do município e interpretar as questões de forma política e também de forma econômica.
Para efeitos práticos e organizar uma boa análise de conjuntura, o assessor político precisa no primeiro momento ficar por dentro dos conceitos de acontecimento e fato. Para deixar mais claro essa questão: nem todo fato se transforma em acontecimento. Nesse contexto é pertinente salientar que fatos ocorrem o tempo todo e a mídia os divulga de maneira geral, mas apenas alguns se transformam em acontecimentos e saem em manchetes de jornais merecendo uma discussão mais específica. O fato tem a característica de acontecer de uma maneira isolada, com uma pessoa “comum”, mas quando acontece e envolve um político, por exemplo se transforma em acontecimento, porque de uma forma geral poderá afetar as relações de poder, seja no município, no Estado ou mesmo no país e alterar o cenário social, político e econômico.
No quadro abaixo, veremos os exemplos de fato e acontecimento:
FATO                      ACONTECIMENTO
Um roubo na cidade Um roubo na cidade envolvendo o Prefeito.
Nesse caso, o roubo ou furto acontece todos os dias, embora a mídia anuncie por se tratar de um delito e um problema de segurança pública, não pode deixar de ser considerado “normal”, mas quando acontece com alguém como o Prefeito, muitas coisas podem estar envolvidas uma vez que poderá alterar as relações de poder da cidade, as correlações de forças e os jogos de interesses. Nesse caso, o fato se transforma em um acontecimento e precisa ser levado em consideração quando o assunto está ligado à política.
Cabe ressaltar aos pretendentes a assessor político que não existe análise de conjuntura neutra. Quem faz análise de conjuntura sempre levará em consideração os seus próprios interesses ou no caso específico os do candidato ou político.
Além de se preocupar com os fatos e com os acontecimentos, outro aspecto importante da análise de conjuntura é a identificação dos cenários de luta política. Na sociedade globalizada e com característica democrática como a brasileira, nem sempre as lutas políticas se estabelecem nas ruas, através de reivindicações e greves, mas, sobretudo dentro de salas, halls de hotéis, empresas e gabinetes, isso porque muitas vezes as lutas não se caracterizam apenas como políticas, mas sempre com um pano de fundo econômico, onde aqueles que detém o poder econômico sempre acabam dando as cartas do jogo político, tendo a capacidade de alterar a realidade social e política para os seus próprios benefícios.
Identificar os cenários de luta política no município é importante para o assessor político, porque dessa forma, poderá coletar informações imprescindíveis para a organização da campanha política ou mesmo para dar sequência a um mandato. Lembrando que quanto mais informações o assessor político conseguir reunir, melhor será para as tomadas de decisões, uma vez que terá condições de tomá-las em um ambiente racional, onde a margem de erro pode ficar próxima de zero, contribuindo para o sucesso da empreitada.
Identificar os atores do jogo político faz parte do conjunto de ações que levam a uma análise de conjuntura bem organizada. Nos municípios de uma forma geral, sempre existem aqueles que dão as cartas, seja um político influente, um empresário bem sucedido, um determinado movimento social. Dessa forma, o papel do assessor político é identificar essas figuras, expor os seus papéis no jogo político e se possível organizar um organograma do poder da cidade, estabelecer quem se relaciona com quem, em que partido se encontra e a partir disso buscar relações se não para compor o quadro partidário, mas para conseguir a maior quantidade de informações possíveis. Lembrando sempre: quem tem mais informações leva sempre vantagens sobre os demais e conseguirá manter uma linha de ação sempre pautada por critérios racionais. Não se deve fazer política na base da emoção.
As relações de força na política estão pautadas nas eleições. Por isso, é sempre necessário o assessor político verificar quantos votos os políticos da cidade obtiveram nas últimas eleições. Em cima desses dados é possível traçar um mapeamento político e a partir disso relacionar quem está por trás de quem - Quais os empresários, movimentos sociais, Ongs lhe deram apoio e quais os que possuem maior força no cenário político.
Através da análise desses dados ficará claro quais os partidos políticos que mais possuem influência no município, quais grupos e classes sociais se sobressaem. São informações que os assessores precisam ter a pronta entrega em seus computadores, tablets e notebooks, pois em qualquer reunião em que o candidato ou político estiver poderá solicitá-las.
De qualquer forma, gostaria de deixar claro que o mapeamento da análise de conjuntura é complexo, não se caracteriza como linear, os fatos políticos e acontecimentos não possuem dinâmicas e sentidos, muitas vezes fazem parte de um quebra cabeça e o assessor político tem que ter a capacidade de juntar as peças e também interpretá-las dentro de um contexto pré-determinado.
O assessor político tem que ter a capacidade de perceber a lógica entre os cenários, os atores, os fatos e os acontecimentos. A análise de conjuntura precisa ser capaz de apontar um caminho a ser seguido por aqueles que querem trilhar a política, porque ela vai ser responsável pela transformação da sociedade, uma vez que quem deseja fazer política, de uma forma geral, busca poder, poder para ser capaz de alterar o rumo das coisas e dessa forma propor intervenções e definir estratégias.
Para escrever de forma mais objetiva, o assessor tem que buscar informações sobre:
• Os atores sociais

• Os cenários políticos existentes

• As relações de forças

• Os fatos

• Os acontecimentos

O assessor político tem que ser capaz de juntar todas as informações e dar sentido a elas.

Para isso, fica como dica:

• Organizar clippings (recorte de jornais) que falam sobre a política do município;

• Fazer calendário dos principais eventos que ocorrem no município;

• Criar agenda de reuniões com lideranças políticas do município;

• Organizar organograma do poder do municípios, com políticos e partidos políticos;
Referência
SOUZA, Herbert. Como se faz análise de conjuntura. 32 ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

Blog Archive

ASSESSORIA POLÍTICA

UM BLOG QUE VAI SERVIR DE REFERÊNCIA PARA QUEM QUER SE COLOCAR NO MUNDO DA POLÍTICA.